Pastor João Alves Corrêa

Pastor João Alves Corrêa

Pastor João Corrêa, como era conhecido, realizou muitos cultos ao ar livre na Praça dos Andradas em Santos para expandir o trabalho do Senhor, como também o fez quando era pastor na Lapa, além de visitas nas casas. Nesta época o Pastor João Corrêa que veio da cidade de Catanduva-SP, substituído o pastor Delfino Brunelli na Assembleia de Deus em Osasco

Pastor João Alves Corrêa


Este, sem sombras de dúvidas foi também um dos maiores líderes das Assembléia de Deus no Brasil, o Pastor João Alves Corrêa da Assembléia de Deus em Santos com quem tive o privilégio de conviver e trabalhar quase 30 anos, foi meu pastor quase 30 anos e foi quem me consagrou para o Ministério, que no mês de Fevereiro de 1962 assumiu a direção e Presidência da Igreja em substituição ao Pastor Bruno Skolismowiks, permanecendo à frente da mesma até o dia 2 de Janeiro de 1993, quando então assumiu o atual Pastor, Paulo Alves Corrêa.

Pastor Corrêa, era conhecido em todo o Brasil e fora dele por seu espírito de liderança, sendo pioneiro de diversos trabalhos, ocupou o cargo maior da CGADB sendo Presidente da Convenção por 4 vezes entre os anos (1960 a 1970). João Alves Corrêa deixa um exemplo de vida para todos nós, principalmente aos que o conheceram e conviveram com ele (como tive a graça de ser seu auxiliar quase 30 anos) sabem que se trata de uma das maiores personagem eclesiástica que o Brasil já teve.

Faleceu em (13/03/2007) na cidade de Santos, seu corpo foi sepultado no Cemitério Memorial da paz.

fonte: PASTOR ADÃO DE SANTANA (Comunicação e Imprensa – COMADEMS)

História de Igreja em Santos

Fundada em 5 de maio de 1924, por Vicente Lameira e sua esposa Hermínia Lameira, Manoel Garcês e sua esposa, todos vindos da cidade do Recife/PE, a igreja Evangélica Assembléia de Deus Ministério de Santos, teve início com os trabalhos de evangelização no bairro da Ponta da Praia.

Dias depois aportaram em Santos, vindos da cidade de Vitória/ES, os grandes pioneiros do evangelho no Brasil, os Missionários Daniel Berg e Gunar Vingren que deram seqüência aos trabalhos de evangelização nesta cidade, organizaram e fundaram efetivamente a Igreja em Santos, sendo esta “A PIONEIRA” das Assembléias de Deus no Estado de São Paulo, e se tornando os seus primeiros Pastores.

No dia 4 de setembro de 1934, já sob a presidência do Pastor Clímaco Bueno Asa, baseado nos dispostos do artigo 141 § 7 a 11, da Constituição Federal, a Igreja ganhou personalidade jurídica ao registrar o seu primeiro Estatuto, passando a funcionar com a denominação de Sociedade Evangélica Assembléia de Deus.

Com sua sede própria a Rua Dr. Manoel Tourinho, 351/355, no Macuco, em Santos/SP, a Igreja Evangélica Assembléia de Deus Ministério de Santos é uma entidade religiosa, filantrópica, de direito privado e sem fins lucrativos, que por ser a primeira do estado, tornou-se conhecida como A PIONEIRA DO ESTADO DE SÃO PAULO.

Presidência – Como presidentes e sucessores, a Igreja teve ainda os seguintes Pastores: Pastor Geraldo Machado, Pastor Luiz Gonzaga, Pastor Simon Lundgren, Pastor Bruno Skolismowiks e Pastor João Alves Corrêa, que no mês de Fevereiro de 1962 assumiu a direção e a Presidência da Igreja em substituição ao Pastor Bruno Skolismowiks, permanecendo à frente até o dia 2 de janeiro de 1993, quando então assumiu, a atual presidência o Pastor Paulo Alves Corrêa.

Com uma visão de dinamismo, determinação e espírito empreendedor, o Pastor Presidente Paulo Alves Corrêa têm trazido grande avanço e progresso à Igreja do Ministério em Santos. Quando assumiu em 1993 eram 52 congregações, atualmente, em 2009 somente nos municípios de Santos, São Vicente, Guarujá e Cubatão, somam-se 168 igrejas.

O Ministério Santos possui 80 mil membros que podem ser encontrados nas seguintes regiões:

Estado de São Paulo: Baixada Santista, Litoral Norte, Litoral Sul, Vale do Ribeira, Planalto e Interior.

Outros estados: Mato Grosso, Sul de Minas Gerais, Goiás e Ceará.

Outros países: Portugal, Inglaterra, Espanha, Paraguai, Argentina , Peru, Chile e no Continente Africano.

PRESIDENCIA
– Pastor Paulo Alves Corrêa
Período: desde 1993

– Pastor João Alves Corrêa
Período: de 1962 a 1993

– Pastor Geraldo Machado
Período: de 1953 a 1961

– Pastor Bruno Skolimowiski
Período: de 1945 a 1953

– Pastor Francisco Gonzaga da Silva
Período: de 1937 a 1945

– Pastor Climaco Bueno Aza
Período: de 1932 a 1937

– Missionário Simon Lundgren
Período: de 1928 a 1932

– Pastor Daniel Berg e Pastor Gunnar Vingren
Período: 1924 a 1928

_________________________________________________________

Pastor e Missionario Gunnar Vingren

Pastor e Missionario Gunnar Vingren

Última Saudação de Gunnar Vingren
“Diga-lhes que vou feliz com Jesus, e como um Pai em Cristo, exorto todos a receberem a Graça de Deus, que quer operar mais santidade e humildade, para que possam receber os Dons do Espírito Santo. somente desta maneira a igreja de deus poderá estar preparada para a vinda de jesus” 

Como Tudo Começou.
Enquanto o avivamento pentecostal expandia-se e dominava a vida religiosa de Chicago, na cidade de South Bend, no Estado de Indiana, que fica a cem quilômetros de Chicago, morava um pastor batista que se chamava Gunnar Vingren. Atraído pelos acontecimentos do avivamento de Chicago, o jovem foi a essa cidade a fim de saber o que realmente estava acontecendo ali. Diante da demonstração do poder divino, ele creu e foi batizado com o Espírito Santo.

Gunnar Vingren original
Pastor Missionário Suéco (PA) (In Memoriam – 1879 a 1933]

: Liderança
– Liderou a Igreja em Belém do Pará.
– Liderou a AD no Rio de Janeiro.
– Primeiro Líder das ADs no Brasil de 1911 a 1930, sendo substiuído apenas durante doenças ou viagens pelo missionário Samuel Nyströn.
– Líder das Ads do Brasil em 1932, enquanto era Líder da AD em São Cristovão (RJ).
– Presidente da Mesa Diretora da Convenção da CGADB em 1931

: Pessoal
– Nome completo: Gunnar Adolf Vingren
– Nascimento: 08 de Agosto de 1879.
– Natural: Ostra Husby, Ostergotland, Suécia.
– Esposa: Frida Strandberg (Casou-se em 16 de Outubro de 1917 em cerimônia presenciada por Samule Nyströn).
– Filhos: Filha Gunvor, sepultada no Brasil e o filho Ivar Vingren.
– Faleceu em 29 de Junho de 1933.

: Formação
– Em setembro de 1904, iniciou curso no Seminário Teológico Batista Sueco em Chicago onde se diplomou em 1909.

: Ministério
– Nasceu em lar evangélico (pais batistas)
– Aos 9 anos sente a chamada de Deus pela primeira vez.
– Aos 12 anos desviou-se da igreja até os 17 anos.
– Em 1896 entrega-se novamente ao Senhor em um culto de vigília.
– Em 1897 (com 18 anos) é batizado nas águas na Igreja Batista em Wraka, Smaland, Suécia.
– Assumiu a direção da Escola Dominical da sua igreja, substituindo seu pai.
– Em 14 de Julho de 1897 é impactado por um artigo sobre missões em uma revista e toma a decisão de um dia ser missionário.
– Em 1898 participou de uma Escola Bíblica de um mês em Götabro, Närke onde foi muito impactado pela mensagem.
– Depois foi enviado com o evangelista Soderlund à província de Skane, seu primeiro campo de trabalho.
– Depois evangelizou nas províncias de Västergötland e Tidaholm onde adoeceu e foi curado milagrosamente.
– Depois evangelizou em Rönneholm e retornou a Skane.
– Prestou o serviço militar e, em 30 de Outubro de 1903, embarcou para a Inglaterra e depois para os Estados Unidos (Boston, Massachusets).
– Foi para Kansas City (EUA).
– Trabalhou como foguista, porteiro e jardineiro.
– Estagiou e dirigiu várias igrejas enquanto fazia o Seminário Teológico (1904 a 1909].
– Em junho de 1909, assumiu a direção da Igreja Batista Menominee, Michigan.
– Participou da Convenção Geral Batista dos Estados Unidos.

– Em novembro de 1909, visita a Primeira Igreja Batista Sueca em Chicago, onde foi batizado no Espírito Santo com a evidência do falar em línguas. Também nesta conferência, conheceu Daniel Berg (Veja: biografia deste).
– Em 1910 vai para a Igreja Batista em South Bend, Indiana, onde foi viu e participou do grande avivamento ali.
– Foi alí que Deus revelou a ele e ao Daniel Berg sobre o local para onde deveriam ir: Pará.
– Conseguem juntar o suficiente para a viagem e chegam em Belém do Pará, Brasil em 19 de Novembro de 1910.
– Inicialmente, moraram no porão da Igreja Batista e, depois na casa do irmão Adrião Nobre.
– Aos poucos aprendiam a lingua protuguesa.

– As irmãs Celina Albuquerque e Maria Nazaré creram na mensagem e receberam o batismo no Espírito Santo.
– Com este início de movimento pentecostal foram expulsos (19 membros) da igreja batista.
– Em 18 de junho de 1911, nascia a “Missão de Fé Apsotólica”, que em 11 de janeiro de 1918 mudou de nome, sendo registrada oficialmente como Assembléia de Deus.
– Depois voltaria a visitar a Suécia por 2 vezes (1917 e 1932].
– Em 15 de Agosto de 1932 retornou à Suécia.
– Continuou frequentando a igreja em Estocolmo.
– Falesceu em 29 de Julho de 1933.

: Realização
– Pioneiro fundador da Assembléia de Deus no Brasil juntamente com Daniel Berg.
– Fundou a “Missão de Fé Apostólica” em 18 de Junho de 1911, que mudou de nome para “Assembléia de Deus” em 11 de Janeiro de 1918.
– Fundou o jornal “Boa Semente” em 1919 em Belém do Pará.
– Fundou o jornal “Som Alegre em 1929 no Rio de Janeiro.
– Fundou o jornal “Mensageiro da Paz” em 1930, resultado da fusão dos dois jornais e que viria a ser o órgão oficial da Assembléia de Deus no Brasil.

: Observação
– Pioneiro fundador da Assembléia de Deus no Brasil.
– Veja também a biografia do seu companheiro Daniel Högberg.
: Mensagem deixada aos brasileiros
“Diga-lhes que eu vou feliz com Jesus e, como um pai em Cristo, exorto a todos a receber a graça de Deus, que quer operar mais santidade e humildade, para que possam receber os dons do Espírito Santo. Somente desta maneira a Igreja de Deus poderá estar preparada para a vinda de Jesus”.

: Fonte
– Encarte Especial da revista Obreiro, ano 23, no 13 – CPAD
: Bibliografia
– Veja também:
– “O Diário do Pioneiro Gunnar Vingren” de Ivar Vingren pela CPAD. A história do fundador das ADs no Brasil.
– “História das Assembléias de Deus no Brasil” de Emílio Conde pela CPAD.

_________________________________________________________________________________________________________________

Pastor e Missionario Daniel Berg

Pastor e Missionario Daniel Berg

Palavras de ânimo que dizia Daniel Berg. “Jesus é bom. Glória a Jesus! Aleluia! Jesus é muito bom. Ele salva, batiza no Espírito Santo e cura os enfermos. Ele Faz tudo pro nós. Glória a Jesus! Aleluia!”.Quando Daniel Berg e Gunnar Vingren chegaram a Belém, ninguém poderia imaginar que aqueles dois jovens suecos estavam para iniciar um movimento que alteraria profundamente o perfil religioso e até social do Brasil. Não possuíam eles amigos ou conhecidos na cidade de Belém. Não traziam endereço de alguém que os acolhessem ou orientasse. Carregando suas malas, enveredaram por uma rua. Ao alcançarem uma praça, sentaram-se em um banco para descansar; e aí fizeram a primeira oração em terras brasileiras.

Daniel Berg
Pastor Missionário Pioneiro (PA) (In Memoriam – 1884 a 1963]
: Liderança
– Pioneiro fundador da AD no Brasil
– Primeiro Pastor da AD Belém (SP)

: Pessoal – Nome completo: Daniel Högberg (Conhecido como missionário Daniel Berg).
– Nascimento: 19 de Abril de 1884.
– Natural: Vargon, Suécia.
– Pais: Gustav Verner Högberg e Fredrika Högberg (pertenciam à Igreja Batista).
– Esposa: Sara (Casou-se em Julho de 1920 na Suécia).
– Filhos: David Berg (?)
– Falecimento: 1963 aos 79 anos de idade.

: Formação
– Aprendeu a profissão de fundidor na sua primeira viagem aos Estados Unidos.
: Ministério
– Converteu-se e foi batizado nas águas em 1899.
– Foi para os Estados Unidos em 5 de Março de 1902 (aos 18 anos), chegando em Bostom em 25 de Março.
– Retornou à Suécia por algum tempo onde tomou conhecimento sobre a graça do Batismo no Espírito Santo através de um amigo.
– Vai novamente para os Estado Unidos (1909] e, ainda na viagem, é batizado no Espírito Santo.
– Em 1909, numa Conferência em Chicago, conhece o pastor Gunnar Vingren (Veja: biografia).
– Muda-se para South Bend onde pastoreava o Gunnar, iniciava-se uma grande amizade.
– Juntamente com o amigo recebem a revelação para irem ao Pará.
– Abandonou o emprego e, juntamente com o amigo, partiram para o Brasil.
– No Brasil, empregou-se como caldereiro e fundidor na Companhia Port of Pará. O que recebia servia de sustento para os dois.
– A conseguir se comunicar em português, começou a evangelizar nas cidades e vilas ao longo da Estrada de Ferro Belém-Bragança, enquanto Vingren cuidava do trabalho iniciado na capital.
– Evangelizou a Ilha de Marajó.
– No início de 1920 visitou a Suécia, onde conheceu a jovem Sara com quem se casou em Julho.
– Em 1921, retornou ao Brasil casado.
– Em 1927, muda-se para São Paulo
– Em 1963, hospitalizado na Suécia, continuava evangelizando através de folhetos e orações.
– Descansou em 1963 aos 79 anos de idade.

: Autoria
– Livros:
“Enviado por Deus – Memórias de Daniel Berg” – CPAD.
: Realização
– Juntamente com Gunnar Vingren, fundou a Assembléia de Deus no Brasil em 18 de Junho de 1911.
: Palavras de ânimo
“Jesus é bom. Glória a Jesus! Aleluia! Jesus é muito bom. Ele salva, batiza no Espírito Santo e cura os enfermos. Ele Faz tudo pro nós. Glória a Jesus! Aleluia!”.
: Observação
– Veja também a biografia do seu companheiro Gunnard Adolf Vingren.
: Fonte
– Encarte Especial da revista Obreiro, ano 23, no 13 – CPAD
: Bibliografia
– Veja também:
– “Enviado por Deus – Memórias de Daniel Berg” de David Berg pela CPAD. Auto-biografia. Relatos do trabalho evangelístico de Daniel Berg, precursor da maior igreja pentecostal do mundo.

– “História das Assembléias de Deus no Brasil” de Emílio Conde pela CPAD.

( Texto retirado do site http://adbrasil.ning.com )

___________________________________________________________

Pastor e Missionario eurico bergstén

Pastor e Missionario eurico bergstén

Deixou a Bahia em 1956, com destino a Recife, onde permaneceu até 1960 quando se transferiu para São Paulo, por solicitação do pastor Cícero Canuto de Lima. Em 1967, foi para o Rio de Janeiro.

Eurico Bergstén
Pastor Missionário Finlandês (In memoriam – 1913 a 1999]
: Pessoal
– Nome completo: Lars Eric Bergstén.
– Nascimento: 13 de Agosto de 1913.
– Natural: Helsinque, capital da Finlândia.
– Pais: Nils August e Else Aurora.
– Esposa: Ester Lindfors (casou em 2 de Dezembro de 1936].
– Filhos: (5] Nils Göran, Ulla, Gitta, Else e Ruy Bergstén (Gerente de Produção da CPAD).
– Falecimento: 6 de Março de 1999.

: Ministério
– Nasceu em lar evangélico.
– Chegou ao Brasil em 02 de Setembro de 1948 para ajudar os pastores nas questões de liderança.
: Autoria
– Comentarista de 35 revistas da Escola Dominical.
– Escritor.
– Livros: 5
“Introdução à Teologia Sistemática” – CPAD.
“Teologia Sistemática” – CPAD.
: Homenagem
– Em 1987, a CGADB deu-lhe o título de Conselheiro Vitalício da CPAD, juntamente com o missionário Bernhard Johnson Jr.
: Observação
– Conhecido como Eurico Bergstén

O missionário Eurico Bergstén nasceu em Helsinky, Finlândia, a 13 de agosto de 1913, casando-se com Esther Margareta Bergstén. No dia 2 de setembro de 1948, em obediência à vontade do Senhor, veio ao Brasil. Passou sete meses no Rio de Janeiro e sete meses em Belo Horizonte, quando mudou-se para Salvador, BA, a 29 de novembro de 1949, ocasião em que a igreja atravessava ali uma fase difícil, e ele pôde, assim, contribuir para normalização das atividades.

Jamais pensou fixar-se em lugar algum: sempre quis ser apenas um missionário, levando a mensagem de Deus a tantos quanto necessitarem, para conforto e alento da alma. Sem dúvida, o missionário Eurico Bergstén é uma das mais autênticas expressões de vocação missionária que temos no Brasil. Espírito reto, coração puro, mente determinada, porém aberta, é um obreiro itinerante, um navio que nunca parou num cais, sempre navegou; nem sempre em águas mansas, pois enfrentou tempestades e trovoadas tremendas, frio e calor, sede e fome, ingratidões, mas nunca desanimou do seu trabalho missionário.

Assembleia de Deus no Brasil
fonte http://adbrasil.ning.com

___________________________________________________________

Pastor e Missionrio Bernhard Johnson Jr.

Pastor e Missionrio Bernhard Johnson Jr.

O pastor Bernhard Johnson Jr., missionário no Brasil pelas Assembléias de Deus americanas , recebe de Deus uma visão, mostrando a grande necessidade da igreja pentencostal brasileira no campo do treinamento teológico dos seus obreiros. Naquela oportunidade, o pastor Bernhard, tocado pelo Espírito Santo, dá início ao plano, vislumbrando um grande projeto de âmbito nacional. Trocando idéias com outros obreiros, chegou-se à conclusão de que o sistema que atenderia a essa necessidade seria o de Educação Teológica por Extensão (ETE), onde a escola vai ao encontro do aluno.

Bernhard Johnson Jr.
Pastor Missionário (In memoriam – 1931 a 1995]
: Liderança
– Foi membro da diretoria da Sociedade Bíblica do Brasil.
– Foi presidente da Convenção Estadual de Ministros das ADs em Minas Gerais.
– Integrou o Comitê Internacional de Billy Graham por 20 anos.

: Pessoal
– Nascimento: 20 de Junho de 1931
– Natural: Alameda, Califórnia, veio para o Brasil em 1940 com 9 anos de idade.
– Pais: Escandinavos, o sueco Bernhard Johnson e a norueguesa Antonette Johnson.
– Esposa: Doris Buckett (casou-se em 1952 em Springfield, Estados Unidos)
– Falecimento: 9 de Fevereiro de 1995 nos Estados Unidos.

: Formação
– 4 anos de Engenharia.
– Cursou o Central Bible College, em Springfield, Estados Unidos.
– Conferencista internacional

: Ministério
– Teve sua primeira chamada aos 9 anos.
– Quando cursava o quarto ano da Faculdade de Engenharia no Instituto Canon de Lavras (MG), teve uma visão renovando sua chamada.
– Iniciou seu profícuo ministério, em 1952, pastoreando duas igrejas nos Estados Unidos da América.
– Largou tudo e foi para Central Bible College, em Springfield, Estados Unidos, onde se formou em 1953.
– Pastoreou a AD em Half Mopn Bay, Califórnia (EUA) por dois anos.
– Pastoreou a igreja em Straling City, Califórnia (EUA).
– Em 1955, começa a realizar diversas cruzadas evangelísticas e eventos de missões e avivamentos em diversos lugares nos EUA.
– Em 1957, chegou ao Brasil onde pastoreou igrejas no sul de Minas Gerais e fundou a Convenção Estadual das Assembléias de Deus daquele estado.
– Volta ao Brasil em 1957 e recebe do missónário Gustavo Bergstrom o campo de3 Divinópolis (MG), onde pastoreou até 1961.
– Em 1961, aceita substituir seu pai que falecera em Varginha (MG).
– Começou vários trabalhos evangelísticos pelo Brasil.
– Em 1964, recebendo uma chamada especial de Deus para o evangelismo em massa, fundou a “Cruzada Boas Novas”, que mais tarde passou a se chamar “Cruzada Bernhard Johnson”. Esse trabalho resultou em 225 cruzadas evangelísticas no Brasil e em mais de 70 países do mundo.
– De 1967 a 1995, fez 225 grandes cruzadas.

– Na década de 60 manteve o programa Palavras de Vida na TV.
– Em 1972, fundou, no Brasil, o ICI – Instituto por Correspondência Internacional.
– Em 1973, foi co-fundador do Desafio Jovem do Brasil, ocupando a presidência até 1979.
– Em 1976, através de uma visão especial dada por Deus, deu início ao arrojado projeto da EETAD – Escola de Educação Teológica das Assembléias de Deus, com sede em Campinas, SP, o qual se consolidou em 1979, com o lançamento do Curso Básico de Teologia.
– Em 1980, lançou um programa evangelístico na televisão brasileira, mantido no ar por 7 anos.
– Em 1981, fundou a ABEM – Associação Beneficente Evangélica para Menores,em Campinas um trabalho em favor de crianças carentes.
– Pregou em convenções nacionais da Ad em oito países.
– Foi preletor dem duas Conferências Mundiais Pentecostais (Londres, Inglaterra em 1976 e Nairóbi, Quênia em 1982].
– Em 1984, fundou o IBICAMP – Instituto Bíblico de Campinas, para atender as necessidades das mais diversas denominações evangélicas da região.
– Pregou em duas Conferências de Evangelismo na Holanda (1983 e 1986].
– Em 1987, fundou a FAETAD – Faculdade de Educação Teológica das Assembléias de Deus, em Campinas, lançando o Curso Médio de Teologia e, mais recentemente, o Bacharel de Teologia.
– Participou como delegado em duas Conferências Mundiais de Evangelismo (Berlim, Alemanha em 1986 e Manila, Filipinas em 1989]
– Em 1993, o IBP – Instituto Bíblico Pentecostal, no Rio de Janeiro(RJ), passou a integrar o Ministério Bernhard Johnson.

: Realização
– Fundou e presidiu a Cruzada Boas NOvas, que o levou a pregar em todos os principais pontos do Brasil e exterior.
– Fundou e presidiu a (EETAD) Escola de Ensino Teológico da Assembléia de Deus, com sede em Campinas (SP).
– Fundador do Ministério Bernhard Johnson que conquistou milhares de alunos para Cristo em todo o mundo.
– Fundou a Associação Beneficente Evangélica para Menores.
– Um dos fundadores do Instituto Bíblico das Assembléias de Deus, em Pindamonhangaba (SP).
– Na década de 60, manteve um programa evangelístico na televisão, chamado Palavras da Vida, sendo o pioneiro do evangelismo televisivo nas ADs brasileiras.
– Foi chamado para a eternidade em 16/02/1995, deixou para o Brasil um legado inestimável de trabalho em favor do reino de Deus, tanto na área de evangelismo, como nas áreas de ensino teológico e assistência social.

: Homenagem
– Em 1987, ganhou nos EUA o troféu Silver Angel, devido a sua expressão evangelística em território brasileiro.
– No Brasil recebeu três títulos de Cidadão de Honra: Ceará (1976], Varginha (MG) em 1986, Belo Horizonte (MG).
– Nos EUA recebeu o título de Cidadão de Mephis, Tenesse.
– Em 1983, a Faculdade das Assembléias de Deus em Santa Cruz, CAlifórnia, lhe concedeu o título honorífico de Doutor em Causas Humanas.
– Em 1987, a CGADB deu-lhe o título de Conselheiro Vitalício da CPAD, juntamente com o missionário Eurico Bérgstén.
– Foi alvo de diversas honrarias, com títulos honoríficos e de cidadania, tendo, dentre muitos, recebido em 1983, o título de “Doctor of Humane Letters”, concedido pela Faculdade Betânia das Assembléias de Deus de Santa Cruz, Califórnia – EUA. Foi também orador oficial em duas Conferências Mundiais Pentecostais: Inglaterra e Quênia.

: Autoria
– Escreveu diversos livros, folhetos e artigos para várias editoras evangélicas.
– Livros:
“Como receber a cura divina” – CPAD, 1995.
: Observação
– Exatamente 50 anos depois da vinda dele ao Brasil, um outro Johnson, o Terry, retornaria ao Brasil como terceiro missionário da família.
– Segundo a esposa, seu passatempo predileto era ler pelo menos um livro por semana e escrever.
: Fonte
– Encarte Especial da revista Obreiro, ano 23, no 13 – CPAD

Assembleia de Deus no Brasil
Fonte http://adbrasil.ning.com

___________________________________________________________

Pastor Alcebades Pereira de Vasco

Pastor Alcebades Pereira de Vasco

O pastor Alcebíades Pereira Vasconcelos passou os seus últimos dias na CPAD, antes de baixar ao hospital para submeter-se a uma cirurgia. No vigor dos seus 73 anos, exerceu até o último instante as prerrogativas de presidente da CGADB, despachando processos, tomando decisões, não deixando, até mesmo, de escrever o seu último artigo, publicado já neste número, sobre se Deus pode ou não usar uma pessoa que vive em pecado. A doença não foi capaz de abater-lhe o ânimo e, dois dias antes de seu falecimento, sua alta estava prevista, tendo ele mesmo demonstrado desejo de retornar à Casa Publicadora, onde ficaria até o término do tratamento. Mas os planos de Deus eram outros. Dois dias depois aprouve ao Senhor levá-lo para sua glória, a fim de poupá-lo de mais sofrimento, isto se deu 12 de maio de 1988.

Alcebíades Pereira de Vasconcelos
Pastor (PA) (In memoriam – 1914 a 1988]
: Liderança
– Liderou a AD em Belém (PA).
– Membro do Conselho Administrativo da CPAD.
– Membro da Diretoria da Sociedade Bíblica do Brasil.
– Membro do Comitê Pró-evangelização Mundial.
– Diretor do Departamento de Publicações da CPAD.
– Representante brasileiro do Conselho Consultivo do Comitê Mundial Pentecostal.
– Presidente da CGADB de 1987 a 1988.
– Integrou o Conselho Diretor do Instituto Bíblico das Assembléias de Deus no Brasil
– Membro do Conselho Consultivo da Eetad.

: Pessoal
– Nascimento: 13 de Dezembro de 1914
– Natural:
– Falecimento: 12 de Maio de 1988 (73 anos)
: Ministério
– Converteu-se a Cristo em 26 de Julho de 1933.
– Evangelista autorizado.
– Ordenado Ministro do Evangelho em 3 de Março de 1938.
– Serviu a Deus em várias igrejas do interior Brasileiro: Colinas (MA), Coroatá (MA) e Dom Pedro (MA), Marabá (PA), Paranaíba (PI).
– Exerceu também o pastorado em quatro capitais: Belém (PA), São Luiz (MA), Rio de Janeiro (RJ) e 2 vezes (1949 a 1952 e 1972 a 1988] em Manaus (AM).

: Autoria
– Escreveu 9 livros:
“De coração para coração”
“Atualidades da promessa”
“Jubileu de Ouro da Assembléia de Deus em Belém”
“Miscelânea doutrinária”
“Israel, milagre do século 20”
“Carta às sete igrejas da Ásia”
“Sinopse Histórica da Assembléia de Deus no Brasil”
“O dízimo da História”
“Bíblia e introdução à Teologia”

: Realização
– Fundou o Instituto Bíblico da Assembléia de Deus no Amazonas – IBADAM.
: Fonte
– Encarte Especial da revista Obreiro, ano 23, no 13 – CPAD
– Veja o livro biográfico: “Alcebíade Pereira Vasconcelos” – CPAD – Escrito por Hadna-Ansy Vasconcelos Lima. O exemplo de vida de um dos maiores líderes das AD no Brasil.

Um dos maiores líderes das Assembléias de Deus no Brasil, o pastor Alcebíades Pereira Vasconcelos pastoreou diversas igrejas em São Luís (MA), Belém (PA), São Cristóvão (RJ) e Manaus (AM). Sua liderança se fez presente em vários momentos da história da denominação, inclusive como representante do Brasil em encontros mundiais. Uma vida que se confunde com a história do pentecostalismo no Brasil.

Nascido em 13 de dezembro de 1914, o pastor Alcebíades Pereira Vasconcelos converteu-se a Cristo em 26 de julho de 1933, faltando apenas cinco meses para completar 19 anos. A partir daí sua vida transformou-se em verdadeira odisséia, pois em 25 de dezembro foi autorizado evangelista e, posteriormente, em 3 de março de 1938, foi ordenado ministro do Evangelho, tendo servido em diversas igrejas do interior, como Colinas, Coroatá, Don Pedro, no Maranhão; Marabá, no Pará; e Paranaíba, no Piauí. Exerceu, também, o pastorado em quanto capitais: Belém-PA, São Luís-MA, Rio de Janeiro-RJ e Manaus-AM, onde esteve por duas vezes, no primeiro período, de 29 de julho de 1949 a 31 de dezembro de 1952 e, no segundo período, desde 11 de agosto de 1972, durante 15 anos, 8 meses e 29 dias até a sua morte.

O pastor Alcebíades galgou diversos cargos na esfera das Assembléias de Deus e no meio evangélico em geral, passando a ser conhecido internacionalmente. Foi membro do Conselho Administrativo da CPAD, exerceu a função de Diretor de Publicações da mesma editora, integrou a diretoria da Sociedade Bíblica do Brasil, fez parte do Comitê Pró-Evangelização Mundial e representou o Brasil no Conselho Consultivo que organiza as Conferências Mundiais Pentecostais. Eleito presidente da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil, em Assembléia realizada na cidade de Salvador-BA, em janeiro de 1987, o pastor Alcebíades exerceu apenas pouco menos da metade do mandato, que terminaria em janeiro de 1990.

Na área literária, produziu nove livros: De Coração Para Coração, Atualidades da Promessa, Jubileu de Ouro da Assembléia de Deus em Belém, Miscelânea Doutrinária, Israel, Milagre do Século XX, Carta às Sete Igrejas da Ásia, Sinopse Histórica da Assembléia de Deus no Brasil, O Dízimo na História e Bíblia e Introdução à Teologia. Fundou o Instituto Bíblico das Assembléias de Deus no Amazonas (IBADAM) e integrou o Conselho Diretor do Instituto Bíblico das Assembléias de Deus em Pindamonhangaba-SP (IBAD) e o Conselho Consultivo da Escola de Educação Teológica das Assembléias de Deus (EETAD).
Sua Morte

O pastor Alcebíades Pereira Vasconcelos passou os seus últimos dias na CPAD, antes de baixar ao hospital para submeter-se a uma cirurgia. No vigor dos seus 73 anos, exerceu até o último instante as prerrogativas de presidente da CGADB, despachando processos, tomando decisões, não deixando, até mesmo, de escrever o seu último artigo, publicado já neste número, sobre se Deus pode ou não usar uma pessoa que vive em pecado. A doença não foi capaz de abater-lhe o ânimo e, dois dias antes de seu falecimento, sua alta estava prevista, tendo ele mesmo demonstrado desejo de retornar à Casa Publicadora, onde ficaria até o término do tratamento. Mas os planos de Deus eram outros. Dois dias depois aprouve ao Senhor levá-lo para sua glória, a fim de poupá-lo de mais sofrimento, isto se deu 12 de maio de 1988.

Depoimentos na hora do sepultamento
“O pastor Alcebíades marcou indelevelmente a vida de nossa igreja. Sua gestão à frente da Mesa Diretora da CGADB sempre se caracterizou pela firmeza e seriedade. Com a sua morte, podemos repetir as palavras de Davi acerca de Abner: ‘Não sabeis que hoje caiu em Israel um príncipe e um grande?’ Foi realmente, uma perda irreparável para as Assembléias de Deus, mas as pisadas do homem de Deus jamais serão apagadas, servindo de exemplo para todos nós”.

José Wellington Bezerra da Costa, presidente da CGADB “Sempre considerei o pastor Alcebíades um homem de Deus no meu caminho. Em 1946, quando eu era um jovem na mais completa obscuridade, ele veio ao meu encontro para dizer-me que Deus lhe havia revelado que eu deveria substituí-lo na parte mais longínqua do seu campo, no interior do Piauí, e eu o fiz. Tive a oportunidade de andar literalmente nos seus rastos, material e espiritualmente, sentindo o seu zelo pelo trabalho do Senhor e a sua abnegação e sinceridade, expressas em palavras e ações”. Estevam Ângelo de Souza, à época, pastor da AD em São Luís “O pastor Alcebíades viveu na sua época, mas teve uma visão bem ampla, sendo um grande entusiasta, principalmente na área educativa.

Era membro do Conselho do IBDA, e foi um dos pastores brasileiros que, desde os primórdios da Educação Religiosa, defendeu o ponto de vista de que o Obreiro deve ter um preparo para exercer esta função”. João Kolenda Lemos, Diretor do Instituto Bíblico das ADs em Pindamonhangaba-SP “Sem favor nenhum, o pastor Alcebíades é um exemplo de vida, de fé, de trabalho, de estudo, pois foi um homem chamado por Deus, deixando em todos nós o melhor de todos os conceitos que alguém aqui na terra pode deixar. Para mim, foi uma honra trabalhar ao seu lado. Eu diria até mesmo que foi um presente do Senhor”. Samuel Câmara, Vice-presidente da AD em Manaus-AM

Mensageiro da Paz, Junho de 1988 – nº 1218, pág.5
Informações extraídas de Histórico da Convenção das Assembléias de Deus no Estado do Maranhão, Dados: História da Igreja Assembléia de Deus em São Luís, autoria: Pr. Rayfran Batista da Silva

Texto Extraido do site http://adbrasil.ning.com

___________________________________________________________

pastor Paulo Leivas Macalão

pastor Paulo Leivas Macalão

O Pastor Paulo Leivas Macalão teve papel destacado no Movimento Pentecostal no Brasil e foi um dos responsáveis pelo crescimento da Assembléia de Deus, fundou o Convenção Nacional das Assembléias de Deus no Brasil – Ministério de Madureira -CONAMAD . Por muitos anos, o pastor Paulo Leivas Macalão também foi conselheiro da Sociedade Bíblica Brasileira, Conselheiro da CPAD – Casa Publicadora das Assembléias de Deus.

Paulo Leivas Macalão
Pastor (RJ) (In memoriam – 1903 a 1982]
: Liderança
– Foi Presidente da AD – Ministério Madureira (RJ).
– Foi conselheiro da Sociedade Bíblica do Brasil, conselheiro vitalício da CPAD e presidente do Instituto Bíblico Ebenézer, da Convenção Nacional de Obreiros de Madureira e do Conselho Fiscal da Ordem dos Ministros Evangélicos do Brasil.
– Foi também membro do Comité Internacional Pentecostal, chegando a representar o Brasil na Conferência Mundial Pentecostal realizada em Dálias, Texas, quando pregou a Palavra de Deus.
– Presidente da Mesa diretora da Convenção da CGADB em 1937.
: Pessoal
– Nascimento: 17 de Setembro de 1903.
– Natural: Livramento (RS)
– Pais: General João Maria Macalão e Joaquina Jorgina Leivas.
– Esposa: Zélia Brito (casou-se em 17 de Janeiro de 1934]
– Filho: Paulo Brito Leivas Macalão.
– Falecimento: 26 de Agosto de 1982.
: Formação
– Recebeu educação evangélica. Recebeu os primeiros ensinamentos no Colégio Batista do Rio de Janeiro, então Distrito Federal.
– Completou seu curso colegial no Colégio D. Pedro II, a mais tradicional escola carioca.
– Era desejo de sua família que seguisse carreira militar, e ele concordava. Seu sonho era entrar no Colégio Militar de Realengo para seguir carreira.

: Ministério
– Em 5 de Abril de 1924, entregou sua vida a Cristo.
– Em 3 de Novembro do mesmo ano, foi batizado nas águas.
– Por essa razão, deixou de lado a carreira militar e dedicou-se à tarefa de pregar o Evangelho. Sua família, depois de relutar muito, cedeu ao desejo do filho, deixando de pressioná-lo para que abandonasse seu intento.
– Paulo começou sua campanha de evangelização nos subúrbios do Rio considerados na época zona rural da cidade.
– Evangelizou com ardor em Realengo, Bangu, Campo Grande, Santa Cruz e Marechal Hermes, bem como nas cidades de Petrópolis e Niterói. Várias congregações foram abertas nos lugares onde passou.
– Em 17 de agosto de 1930, missionário Gunnar Vingren, então líder da Assembléia de Deus no Rio de janeiro, aproveitando a visita do pastor Lewi Pethrus ao Brasil, consagrou Paulo Leivas Macalão ao santo ministério.
– Bangu foi a localidade escolhida para iniciar suas atividades como ministro. Ali, construiu o primeiro templo da Assembléia de Deus na cidade do Rio de Janeiro. Esta igreja ficava na Rua Ribeiro de Andrade, 65, lugar onde foi celebrado seu casamento com Zélia Brito
– O casal só teve um filho, Paulo Brito Leivas Macalão, que haveria de se tornar missionário posteriormente.
– Mais tarde, o trabalho em Bangu foi transferido para Madureira, bairro em que se estabeleceu a sede dos trabalhos abertos pelo pastor Paulo.
– De lá, a igreja expandiu-se para outros estados, como Minas Gerias, Paraná, Goiás, Mato Grosso, São Paulo, Espírito Santo e Brasília.
– Ao falecer, em 26 de agosto de 1982, deixou o ministério da AD de Madureira com cerca de 200 pastores, 500 evangelistas, 2 mil presbíteros, 5 mil diáconos, 4 mil auxiliares, 6 mil músicos, 600 igrejas, mil congregações, 3 mil pontos de pregação e um total de membros e congregados de 500 mil.

: Realização
– Compositor com o maior número de hinos no hinário Harpa Cristã.
– Construiu o primeiro templo da Assembléia de Deus na cidade do Rio de Janeiro (RJ).
: Homenagem
– Recebeu o título de cidadão do antigo Estado da Guanabara.
: Autoria
– Corrigiu e ampliou a Harpa Cristã.
– Autor de maior quantidade de hinos na Harpa Cristã.
: Fonte
– Encarte Especial da revista Obreiro, ano 23, no 13 – CPAD

Nasceu na cidade de Livramento, RS, a 17 de setembro de 1903. Filho do general João Maria Macalão e de D. Joaquina Jorgina Leivas Macalão. Recebeu sua educação inicial no Colégio Batista, no então Distrito Federal, e completou seu curso colegial no Colégio D. Pedro II. Era desejo de sua família que seguisse a carreira militar, e ele concordava, pois estava resolvido a entrar mesmo no Colégio Militar de Realengo, para seguir a carreira de seu pai. O curso de sua vida, no entanto, estava sendo orientado por Deus, Converteu-se em 5 de abril de 1924, sendo batizado a 3 de novembro do mesmo ano. Por essa razão, deixou de lado a carreira militar e dedicou-se à tarefa de expressar o seu amor à causa evangélica, seguindo o glorioso ideal de ganhar almas para o reino de Deus.

Não foi fácil para o jovem Paulo seguir os passos iniciais de sua nova carreira, porque encontrou os primeiros obstáculos entre os seus. Sua família, sentindo que este era o seu destino e que esta era a vontade de Deus, cedeu diante da fé inabalável do jovem crente.

Paulo Macalão começou sua campanha de evangelização nos subúrbios da zona rural, passando por Realengo, Bangu, Campo Grande, Santa Cruz, Marechal Hermes, bem como nos arredores do Estado do Rio de Janeiro, como Petrópolis e Niterói.

Os resultados não demoraram a chegar: um número de congregações foi estabelecido com o fim de salvar aqueles que estavam sem esperança, jazendo na incredulidade, levando-os à segurança da fé.
A 17 de agosto de 1930, o missionário Gunnar Vingren, que era o pastor da igreja no Rio de Janeiro, aproveitando a visita ao nosso país do missionário Lewi Pethrus, da Suécia, consagrou Paulo Leivas Macalão ao ministério da Palavra de Deus.

Bangu foi a localidade escolhida para seu trabalho evangelístico e para a construção do primeiro templo das Assembléias de Deus no Distrito Federal. Esta igreja ficava na rua Ribeiro de Andrade, 65, onde a 17 de janeiro de 1934, casou-se com Zéliz Brito, nascendo-lhe o único filho, Paulo Brito Leivas Macalão, hoje pastor em Caldas Novas, GO. Mas tarde o trabalho foi transferido para Madureira, bairro em que se estabeleceu a sede da igreja. De lá, espalhou-se para outros Estados, como Minas Gerais, Paraná, Goiás, Mato Grosso, São Paulo, Espírito Santo e, também, Brasília, quando do início da nova Capital Federal.

Por muitos anos, o pastor Macalão foi conselheiro da Sociedade Bíblica do Brasil, e Conselheiro Vitalício da CPAD. Foi presidente do Instituto Bíblico Ebenézer; da Convenção Nacional dos Obreiros de Madureira, e do Conselho Fiscal da Ordem dos Ministros Evangélicos do Brasil.

Ainda por longo tempo, foi membro do Comitê Internacional que planeja as Conferências Mundiais Pentecostais, em Dallas, Texas, representando o Brasil, quando teve ocasião de fazer vibrante pregação.
Visitou igrejas na Inglaterra e na Suécia, inclusive a Igreja Filadélfia em Estocolmo. Em Springfield, Missouri, quando da sua visita oficial à Sede Central das Assembléias de Deus na América do Norte, foi ali diplomado.
Recebeu também o título de cidadão do antigo Estado da Guanabara.
Corrigiu e ampliou a Harpa Cristã em sua última edição.

Passou a estar com o Senhor no dia 26 de agosto de 1982, aos 79 anos de idade.
Não é possível avaliar o trabalho desenvolvimento pela AD em Madureira, que cresce a cada momento em todo o Brasil, mas uma estatística aproximada apontaria cerca de 2500 pastores, 5000 evangelistas, 8000 presbíteros, 11000 diáconos, mais de 3500 igrejas, mais de 3000 congregações, com um total de aproximadamente 3.500.000 membros.

1. História das Assembléias de Deus no Brasil, CPAD, 2ª edição, 1982.
Texto extraido do site http://adbrasil.ning.com

___________________________________________________________________________________________________________________________

Pastor Emilio Conde

Pastor Emilio Conde

Neste post conheceremos mais um HERÓI DA FÉ, o seu nome é EMÍLIO CONDE. Um homem usado poderosamente para dinfundir a mensagem da Palavra de Deus através da escrita. Ele é conhecido como Apóstolo da imprensa evangélica pentecostal no Brasil. Emílio compôs vários hinos da Harpa e deixou um grande legado para as Assembléias de Deus no Brasil.

Emílio Conde
Pastor (RJ) (in memoriam)
: Liderança
– Deu nome à Casa de Letras …
– Era membro da AD em São Cristovão, Rio de Janeiro (RJ)
: Formação
– Jornalista.
: Autoria
– Livros:
“Asas do Ideal” – CPAD
“História das Assembléias de Deus no Brasil” – CPAD
“O Testemunho dos Séculos”
“Tesouro de Conhecimentos Bíblicos” – CPAD
: Observação
– Considerado um dos maiores expoentes da literatura pentecostal no Brasil.

Nasceu no dia 8 de outubro de 1901, em São Paulo. Seus pais, João Batista Conde e Maria Rosa eram de origem italiana. Conseqüentemente, o primeiro contato de Emílio com o Evangelho foi na Congregação Cristã no Brasil, fundada por italianos. Ali, o futuro escritor evangélico creu em Jesus Cristo e se tornou membro da igreja no dia 21 de abril de 1919, sendo em seguida batizado com o Espírito Santo. Transferindo-se para o Rio de Janeiro, passou a freqüentar a Assembléia de Deus na Rua Figueira de Melo, 232, em São Cristóvão, pastoreada na época pelo missionário Samuel Nyström. Entusiasmado com o calor espiritual dos que ali se reuniam para cultuar a Deus, Emílio Conde transferiu-se de sua denominação e tornou-se membro dessa igreja.

Em 1937, o missionário Nils Kastberg encontrou-o trabalhando como intérprete em um restaurante do Rio de Janeiro. A Casa Publicadora começava a surgir nesse ano. – “Irmão Conde, necessitamos de alguém para atender ao expediente da redação de nosso periódico, o ‘Mensageiro da Paz’. Sabemos que o irmão reúne em si todas as qualificações necessárias para tal cargo. O irmão aceita ser nosso redator?” Surpreso, antevendo a determinação divina que se sobressaía naquele convite tão simples, e sentindo-se tocado em um dos pontos fundamentais de sua vida, a sua vocação, aceitou. Era o amanhecer do ministério do apóstolo da imprensa evangélica pentecostal no Brasil.

Sua admissão oficial como funcionário da CPAD data de 15 de março de 1940. Desde o convite do missionário Nils Kastberg até aquela data, fora apenas colaborador. Daí por diante, por mais de trinta anos Emílio Conde dedicaria à CPAD seu talento, sua cultura, sua impressionante capacidade de trabalho, sua mente clara e fecunda. Era um homem humilde, simples. Não costumava ostentar os conhecimentos que possuía. Entre os amigos, sua palavra simples e amena, dosada pelo bom humor e pela sinceridade, descontraía a todos que a ele se achegassem. Para os que se viam angustiados ou confusos, procurá-lo era encontrar nele um apoio, uma palavra amiga, esclarecida, experimentada, confortadora.

Seu trabalho na imprensa evangélica não foi uma profissão: foi um sacerdócio. Trabalhou para levar a semente da Palavra aos corações, e nisto empregou toda a sua vida. Deu-se a si mesmo, como está em 2 Coríntios 8.5: “…mas a si mesmo se deram, primeiramente ao Senhor e depois a nós, pela vontade de Deus.” E era tão grande seu amor por esse trabalho, que chegou a rejeitar muitas propostas de empregos extra-evangélicos, pois se os aceitasse, tornar-se-ia inepto para o desempenho da função que exercia. E, agindo assim, sempre esteve à altura da posição que ocupava, e sempre pronto a cooperar com a causa das Assembléias de Deus no Brasil.

Graças à sua maneira sóbria e digna de se conduzir, foi, entre nós, uma espécie de representante mor de nosso movimento em todos os meios sociais e evangélicos. De 1946 a 1958 representou oficialmente as Assembléias de Deus no Brasil nas Conferências Mundiais Pentecostais, havendo estado em Estocolmo, Londres e Toronto. E foi também, durante muitos anos, nosso representante, não só na Diretoria, mas também nas Comissões da Sociedade Bíblica do Brasil.

Quando principiou a escrever em função do Evangelho, eram poucos os que entre nós podiam e se prestavam a tal ofício. Portanto, foi de sua caneta que fluiu a maioria dos artigos, das notícias e das reportagens usadas no nosso jornal e nas nossas revistas, e ainda nos livros da CPAD e tudo mais que ia do Sul ao Norte do Brasil para as nossas igrejas – as mensagens escritas para edificação dos fiéis. Seu conhecimento e sua visão espiritual abrangia toda a comunidade evangélica brasileira. Empenhou-se a fundo em obter dados no Movimento Pentecostal no Brasil e no mundo e, como resultado, escreveu os livros: O Testemunho dos Séculos e História das Assembléias de Deus no Brasil (este último, reescrito e ampliado pela CPAD). Escreveu também os seguintes livros: Asas do Ideal, O Homem, Pentecostes para Todos, Igrejas sem Brilho, Nos Domínios da Fé, Caminhos do Mundo Antigo, Flores do Meu Jardim, Tesouros de Conhecimentos Bíblicos, e Estudos da Palavra.

Era, sobretudo, um homem de oração. Foi orando que recebeu de Deus inspiração para compor 25 hinos de nossa harpa, e outros, sendo dois em parceria com o missionário Nils Kastberg, e cinco com a missionária Eufrosine Kastberg. Integrou, durante muitos anos, o Coral da Assembléia de Deus em São Cristóvão, tendo sido também organista e acordeonista. Gostava muito de cantar, e todos quantos o ouviam, sentiam vibras as cordas de seu coração, pois ele estava sempre desejando “as ruas de ouro e cristal da formosa Jerusalém”.
Considerando o imenso e relevante trabalho por ele prestado à Assembléia de Deus no Brasil, foi lhe oferecido certa vez, por um grupo de pastores, o acesso ao Ministério do Evangelho, através de ordenação, mas ele recusou definitivamente.
Em janeiro de 1971, acometido de uma já antiga enfermidade, oriunda de complicações pós-operatórias, baixou o Hospital Evangélico, na Tijuca. Uma semana antes a irmã Didi, enfermeira que cuidou dele nos últimos meses, o encontrara dormindo com a caneta entre os dedos, debruçado totalmente sobre o trabalho inacabado. Seria sua última página escrita.

Aplicadas todas as forças da alma e do corpo para servir a Cristo, toda sua vida não lhe fora suficiente; era-lhe necessário passar para a eternidade e continuar servindo “Aquele que é mais sutil que o ar, mais ligeiro que o relâmpago, e cujo olhar é mais belo que um alvorecer de primavera, e mais suave que a claridade das estrelas”.
Ás 13.00 horas do dia 5 de janeiro de 1971, Emílio Conde dormiu no Senhor. Às 17.00 horas do mesmo dia seu corpo saía do Hospital Evangélico para ser velado no Templo da Assembléia de Deus em São Cristóvão, ficando próximo ao púlpito, aquele mesmo púlpito onde pregara tantas vezes e onde tantas vezes cantara. A rádio Nacional, a Tupi e a Globo noticiaram com detalhes o seu falecimento.

FONTE: Eles Andaram com Deus, pp 149-160, de Jefferson Magno Costa, Edição CPAD.

Texto extraido do site http://adbrasil.ning.com

_____________________________________________________

Pastor Bruno Skolimowski

Pastor Bruno Skolimowski

A data de 19 de outubro de 1928 assinala a chegada a Curitiba, do pastor Bruno Skolimowski. Pela direção de Deus, pregou aos poloneses na sua própria língua, em razão do grande número desses que ali viviam e não falavam português. Após um ano, o pastor Bruno passou a pregar também aos brasileiros, sem deixar de pregar aos poloneses aos domingo à tarde.

Bruno Skolimowski
Pastor (In memoriam – 1884 a 1961]
: Liderança
– Liderou a AD em Curitiba (PR).
– Liderou a AD em Belém, São Paulo (SP) em 1939 a 1945.
– Liderou a AD em Santos (SP)
– Novamente, voltou a liderar a AD em Curitiba (PR).
– Em 1957 até 1961, pastoreou a AD em Santos.
– Sétimo Pastor do Belém (SP).

: Pessoal
– Nascimento: 2 de Novembro de 1884.
– Natural: Zonim, Polônia.
– Pais: G. Skolimowski e Marisch Schuarz Skolimowski
– Esposa: Maria Barbosa (brasileira, casamento em 1911]
– Falecimento: 20 de Dezembro de 1961.

: Formação
– Falava fluentemente italiano, ucraniano e alemão, além do português.
: Ministério
– Em 1905, mudou da Polônia para a Alemanha, onde ficou por 4 anos.
– Em 1909, Chegou em Belém (PA) no Brasil em busca de trabalho.
– Em 1919, aceitou a mensagem do Evangelho, juntamente com a sua esposa.
– Em 1923, foi enviado para a AD em Fortaleza (CE) para substituir o irmão Antônio Rego à frente da Igreja.
– Em 1924, substituiu o irmão Manoel Higino à frente da AD em Natal (RN).
– Em 1926 foi para o Rio de Janeiro (RJ) por alguns meses.
– Foi para Petrópolis (RJ) na regiao serrana fluminense. Liderou a obra ali em 1927.
– Em 19 de Outubro de 1928, transferiu-se para Curitiba (PR), atendendo a uma revelação divina.
– No início de 1939, passa a direção da AD em Curitiba (PR) ao pastor Clímaco Bueno Aza.
– De 1939 a 1945 liderou a AD do Belém (SP).
– Em 1945, substituído pelo pastor Cícero Canuto de Lima, pastoreou a AD em Santos (SP).
– Em 1953, vai para Curitiba (PR).
– Em 1954 até 1957, assume a liderança da AD em Curitiba (PR)
– Em 1957 a 1961, pastoreia a Igreja em Santos (SP)
– Falece em 20 de Dezembro de 1961.

: Realização
– Edificou o primeiro templo na capital potiguar, na rua Amaro Barreto, 40.
– Realizou em 31 de Maio a 7 de Junho de 1936, a primeira Convenção das Assembléias de Deus no Paraná.
– Inaugurou um majestoso templo na Rua Antônio de Alcântara Machado, 616, no bairro do Belém, São Paulo (SP).
– Na sua gestão o ministério em São Paulo passou a ser chamado de Ministério do Belém (intencionalmente)
: Fonte
– Encarte Especial da revista Obreiro, ano 23, no 13 – CPAD

Em 19 de Outubro de 1928, transferiu-se para Curitiba (PR), atendendo a uma revelação divina.
– No início de 1939, passa a direção da AD em Curitiba (PR) ao pastor Clímaco Bueno Aza.
– De 1939 a 1945 liderou a AD do Belém (SP).
– Em 1945, substituído pelo pastor Cícero Canuto de Lima, pastoreou a AD em Santos (SP).
– Em 1953, vai para Curitiba (PR).
– Em 1954 até 1957, assume a liderança da AD em Curitiba (PR)
– Em 1957 a 1961, pastoreia a Igreja em Santos (SP)
– Falece em 20 de Dezembro de 1961.

: Realização
– Edificou o primeiro templo na capital potiguar, na rua Amaro Barreto, 40.
– Realizou em 31 de Maio a 7 de Junho de 1936, a primeira Convenção das Assembléias de Deus no Paraná.
– Inaugurou um majestoso templo na Rua Antônio de Alcântara Machado, 616, no bairro do Belém, São Paulo (SP).
– Na sua gestão o ministério em São Paulo passou a ser chamado de Ministério do Belém (intencionalmente)

: Fonte
– Encarte Especial da revista Obreiro, ano 23, no 13 – CPAD

Pastor e Missionario Gunnar Vingren

Pastor e Missionario Gunnar Vingren